Greve dos servidores federais chega ao 6º dia com 80% de adesão no RN

Com a paralisação, fica suspensa a maior parte dos atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e das agências regionais do Trabalho no Estado. (Foto: Sindprevs-RN)
 Ministro receberá representantes da categoria
em Brasília (Foto: Sindprevs-RN)

A greve nacional dos servidores federais dos ministérios da Previdência Social, do Trabalho e da Saúde chegou ao sexto dia nesta segunda-feira (13) com 80 % de adesão no Rio Grande do Norte. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Federais em Previdência, Saúde e Trabalho do Estado (Sindprevs-RN), apenas quatro agências do Instituto Nacional do Seguro Social continuam funcionando na capital potiguar.

Além do INSS, a paralisação também reduz a 30% os atendimentos na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e das agências regionais do Trabalho no Estado.

A greve dos servidores é motivada por cinco reivindicações principais: reposição salarial em conformidade com a inflação; incorporação de gratificações; paridade entre ativos e inativos; realização de concurso público para repor o quadro funcional; e regulamentação das 30 horas da jornada de trabalho para todos da categoria.

De acordo com a assessoria do Sindprevs-RN, a greve já provocou reação do Ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, que receberá representantes da categoria em Brasília.

A última grande greve nacional dos servidores do INSS aconteceu em 2009, quando analistas e técnicos paralisaram as atividades por mais de 28 dias. No Rio Grande do Norte, existem mais de 30 agências do Instituto.

G1RN

Comentários