No RN, todas as 37 agências do INSS aderiram à greve



Agências do INSS no RN iniciaram greve por tempo indeterminado 
 
Todas as 37 agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Rio Grande do Norte estão parcialmente fechadas por causa da greve deflagrada na última terça-feira, 7, em todo o Brasil. O movimento no RN paredista foi iniciado nesta quarta-feira (8).

Somente os atendimentos de serviços emergenciais estão sendo realizados pelos servidores do INSS. A solicitação de seguro-desemprego e a concessão de aposentadoria não serão realizadas no período de greve.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Trabalhadores Federais em Previdência, Saúde e Trabalho do Estado (SINDIPREVS-RN), em média, são realizados 400 atendimentos por dia no Estado.

O movimento foi iniciado pela manhã da quarta-feira, no auditório da Reitoria da UFRN, através de uma sessão popular realizada entre diversas entidades sindicais do Estado, entre elas, o Sindprevs-RN. Logo após, um ato público realizado pelos servidores em frente à agência do INSS no bairro do Tirol consolidou o movimento, que contou com a participação dos servidores federais e de grande parte da imprensa potiguar.

Com a paralisação desses analistas e técnicos da União, fica suspensa a maior parte dos atendimentos do Instituto Nacional do Seguro Social, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) e das agências regionais do Trabalho no Estado.

Para o vice-presidente do Sindprevs/RN, Júlio Nicácio, o que impulsiona a luta dos trabalhadores é a conquista de melhores condições de trabalho no âmbito público federal. “Não estamos propondo somente o aumento do salário. Queremos também que condições dignas de trabalho sejam fornecidas para que possamos prestar um serviço público de qualidade à população brasileira”, explica.
Greve é motivada por cinco reivindicações dos servidores

A greve dos servidores é motivada por cinco reivindicações principais. São elas: a reposição salarial em conformidade com a inflação, a incorporação de gratificações, a paridade entre ativos e inativos, a realização de concurso público para repor o quadro funcional e a regulamentação das 30 horas da jornada de trabalho para todos da categoria. O Governo Federal apresentou proposta de reajuste inferior ao valor das perdas salariais e ainda com a condição de ser concedido ao longo de quatro anos.

A última grande greve nacional dos servidores do INSS aconteceu no ano de 2009, quando os analistas e técnicos do instituto paralisaram as atividades por mais de 28 dias. No Rio Grande do Norte, existem mais de 30 agências do Instituto. A paralisação da categoria significa, entre outras coisas, a suspensão dos atendimentos de aposentadoria, pensões e benefícios assistenciais, sem data para retorno, em todas as agências de Natal e do interior do Estado.

Nas cidades do interior do RN, muitos sindicatos e entidades de apoio aos idosos realizam o trabalho de orientação das pessoas, com relação à documentação e o deslocamento até as agências, com a paralisação, os processos devem começar a se acumular e, dependendo do período da greve, poderá trazer sérios problemas à população.

De Fato.com

Comentários