RN registra 81 mortes suspeitas por dengue em 2016, diz Sesap

Dengue é uma das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (Foto: Divulgação/Pixabay)


O Rio Grande do Norte já registrou 81 mortes suspeitas por dengue este ano - o que representa um aumento de 523% em comparação com o ano passado. De acordo com o boletim divulgado nesta terça-feira (12) pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), 13 mortes por dengue foram notificadas em 2015.

(Correção: Ao ser publicada, esta matéria errou ao afirmar que eram 81 casos de mortes por dengue confirmadas. Na verdade, estas 81 mortes são suspeitas e ainda estão em investigação. A informação foi atualizada às 7h30 desta quarta-feira). 

Ainda segundo os dados da Sesap, no Rio Grande do Norte já foram notificados 31.397 casos suspeitos de dengue este ano, o que representa uma incidência de 1.098,37 casos para cada grupo de 100.000 habitantes - um aumento considerável se comparada à incidência do mesmo período de 2015, que foi de 477,49 para cada 100 mil habitantes.

A Sesap ainda revela que, até o momento, foram confirmados 1.918 casos, ou seja, 6,1% dos casos notificados. Destes, 1.884 são de dengue, 29 de dengue com sinais de alarme e 5 como dengue grave. Em 2015, no mesmo período, forma confirmados 3.070 casos, sendo 3.042 para dengue, 24 para dengue com sinais de alarme e 4 de dengue grave.

De acordo com o Programa Estadual de Controle da Dengue (PECD), 88 municípios do RN (52,7%) apresentam uma alta incidência acumulada de dengue este ano, justamente os que notificaram mais de 300 casos da doença por 100.000 habitantes. Outros 41 municípios (24,6%) apresentam uma incidência média, e outros 28 (16,8%) têm baixa incidência, além de 10 municípios (6%) que estão silenciosos, ou seja, não notificaram nenhum caso suspeito de dengue nesse período.

Novamente, ainda de acordo com a Sesap, o relatório aponta para uma subnotificação de casos suspeitos e indica a necessidade de sensibilizar os profissionais de saúde para a responsabilidade de notificarem todos os atendimentos que se enquadrarem na definição de caso suspeito para dengue definido pelo Ministério da Saúde. “Toda pessoa que viva ou tenha viajado nos últimos 14 dias para área onde esteja ocorrendo dengue ou que tenha a presença de Aedes Aegypti que apresente febre, usualmente entre 2 a 7 dias, e apresente duas ou mais das seguintes manifestações: náuseas, vômitos, exantemas, mialgias, artralgia, cefaleia, dor retroorbital, petéquias ou prova do laço positiva e leucopenia”, recomenda o relatório.

Municípios com alta incidência
Os municípios de Natal, com 5.648 notificações, Guamaré (2.405), Parelhas (1.335) e Currais Novos (1.333) lideram o ranking de notificações da dengue. Quanto aos óbitos, o relatório mostra que a ocorrência de grande número no estado, caracterizando uma situação preocupante para a vigilância epidemiológica uma vez que o óbito por dengue é, em sua maioria, evitável. No ano de 2015 foram notificados 13 óbitos. Em 2016, 81 mortes já foram notificadas, o que representa um aumento de 523%. Destes, 2 casos foram notificados como dengue grave, 3 foram descartados e os demais ainda estão em investigação.

Chikungunya
No RN, no ano de 2015, foram notificados 4.352 casos de chikungunya. Destes, nenhum caso foi confirmado. Em 2016, até a semana epidemiológica número 12 (terminada em 2/4), foram notificados 2.240 casos, sendo confirmados 195. Em relação à região de notificação, a maior quantidade de casos de chikungunya vem da 7ª Região de Saúde, composta pelos municípios de Extremoz, Macaíba, Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante.

Zika
Em 2015, até o momento foram notificados 329 casos suspeitos do vírus da zika. Já este ano,  no mesmo período, foram notificados 1.534. Dos casos notificados, foram confirmados 76 em 2015 e 3 este ano. Os casos notificados em 2015 estão distribuídos em nove municípios. Neste ano, no mesmo período, os casos foram notificados em 53 municípios. Somente Natal é responsável por 1.029 casos (67%). Mossoró tem 94 casos notificados (6%).

G1RN

Comentários