No RN, nível de reservatórios secos ou em volume morto tem nova melhora

Barragem de Santa Cruz, em Apodi (Foto: Anderson Barbosa/G1)

O nível dos reservatórios do RN teve mais uma melhora. É o que aponta relatório divulgado nesta segunda-feira (13) pelo Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn). Segundo o órgão, que monitora 47 reservatórios com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, os reservatórios secos ou em volume morto – que no começo do mês representavam 69% do total – baixou mais 2% desde última análise e agora são 57%, o que significa uma redução de 12% por causa das chuvas que vêm caindo no estado nas últimas semanas. Somente neste final de semana, choveu em 87 municípios do estado.

Apesar da nova melhora, o Governo do RN anunciou que vai decretar situação de emergência por causa da seca pelo 4º ano consecutivo. Com mais de 5 anos de chuvas abaixo da média, este é o período de estiagem mais severo da história do estado. Dos 167 municípios potiguares, 153 sofrem com os efeitos da seca.

Atualmente, 76 cidades possuem algum tipo de rodízio de abastecimento e outros 18 municípios estão em colapso hídrico – que é quando a companhia que fornece água admite que não tem condições de manter o fornecimento e a população passa a ser abastecida por meio de caminhões-pipa.

Melhora na Armando Ribeiro
Maior reservatório do Rio Grande do Norte, com uma capacidade de 2,4 bilhões de metros cúbicos de água, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves estava com 328,486 milhões de metros cúbicos no relatório do dia 6 de fevereiro. Atualmente, está com 383,039 milhões, o que representa 15,96% do seu volume total.

Piora em Santa Cruz
A segunda maior barragem do estado é Santa Cruz, em Apodi. Com capacidade total de 600 milhões de metros cúbicos, o reservatório teve uma pequena redução de volume, passando de 137,013 milhões de metros cúbicos para 136,053 milhões (22,69% da sua capacidade).

Crescimento expressivo em Umari
Já a Barragem de Umari, em Upanema, com capacidade total de 292,8 milhões de metros cúbicos, é o terceiro maior reservatório do RN. Lá, o aumento no volume foi expressivo. Do dia 1º de março até agora, passou de 32,218 milhões para 46,828 milhões de metros cúbicos (16% de sua capacidade).

Itans e Gargalheiras
Na região Seridó, a situação de alguns reservatórios continua preocupante. O açude Itans, em Caicó, e o Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, em Acari, continuam com menos de 2% de suas capacidades.

Lagoas
A Lagoa de Extremoz, que fica na Grande Natal, é responsável pelo abastecimento de 70% da Zona Norte da capital potiguar. O manancial obteve boa recarga em seu volume, principalmente com as chuvas que caíram no nício do mês. Atualmente, possui 5,567 milhões de metros cúbicos de água, atingindo mais da metade de sua capacidade hídrica (50,52%). Apesar disso, o rodízio no fornecimento d'água para a maioria dos moradores da região vai continuar.

Já a Lagoa do Bonfim, que atende à adutora Monsenhor Expedito, está com 50,93% do seu volume. Responsável por parte do abastecimento da Zona Sul de Natal, a Lagoa do Jiqui está com 72% do seu volume.

Alerta
O Igarn alerta, entretanto, que é necessário a população continuar economizando água, pois mesmo com as recargas, as reservas hídricas ainda continuam baixas. "O racionamento ainda permanece e a economia de água é de grande importância para a manutenção do funcionamento dos sistemas de abastecimento as cidades do estado", ressalta.

Seca histórica
Em dezembro, o G1 publicou matéria mostrando que a mais longa e severa estiagem da história do Rio Grande do Norte está fazendo o maior reservatório do estado secar. A reportagem visitou sete cidades onde os canos estão secos ou há rodízio de água – em uma delas, até uma cidade submersa pela represa reapareceu. A seca afeta moradores, a produção agropecuária e até o PIB do estado.

G1RN

Comentários