Acusado de ter matado Antonino Carneiro, em 1992, é preso 25 anos depois no Acre


Um trabalho conjunto entre os Ministérios Públicos do Rio Grande do Norte e do Acre resultou na prisão do foragido de Justiça Luiz Lobo Neto, acusado de ter sido um dos executores do advogado Antonino Benevides Filho. O crime foi cometido em Caraúbas, cidade da região Oeste potiguar, em 13 de janeiro de 1992. Luiz Lobo Neto estava foragido desde a data do assassinato.
 
Luiz Lobo Neto foi localizado após o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRN (Gaeco) receber um telefonema pelo disque-denúncia 127 dando conta do paradeiro dele. O Gaeco potiguar repassou a informação ao Gaeco acreano, que capturou o foragido.
 
Segundo investigação do MPRN, Luiz Lobo era pistoleiro e tinha sido contratado para assassinar o advogado. Esse crime estaria relacionado à rixa entre as famílias Benevides Carneiro, Fernandes e Simião Pereira, que resultou na morte de diversas pessoas décadas atrás no Rio Grande do Norte.
 
Luiz Lobo Neto estava foragido havia mais de 25 anos, desde a data do crime. A ação penal instaurada contra ele está parada há 8 anos, aguardando que fosse preso para poder ser levado a julgamento perante o Tribunal do Júri de Caraúbas.
 
O acusado foi preso na cidade de Rio Branco, onde estava morando. Luiz Lobo Neto foi encaminhado a uma unidade prisional do Acre, onde ficará à disposição da Justiça potiguar até sua transferência definitiva para o Rio Grande do Norte.
 
Fonte: MPRN via Jornal de Fato

Comentários